Como ajudar uma gestante que pensa em abortar?

Se você conhece alguém que está grávida e pensando em abortar, essa pessoa está passando por um momento difícil e certamente desconhece as complicações e riscos que um aborto traz, as consequências físicas e psicológicas que a marcarão pelo resto da vida e a humanidade do bebê que ela espera. Como você pode ajudar essa mulher a rejeitar o aborto e escolher a vida para ela e o bebê? Comece com amor, aceitação e apoio emocional.

Aproximação e Acolhida

É de suma importância que você tenha coragem e entre em cena. Abordar essa mulher pode ser mais fácil ou difícil conforme o grau de intimidade que existe entre vocês; em qualquer caso, mostre compaixão. Ela precisa ver que você está genuinamente preocupado e se importa com ela, do contrário ela não vai confiar em você e não vai se deixar ajudar.

Tenha em mente que nenhum de nós está aqui para julgar mas para amar (Mat 9, 12-13). Acolha essa mulher seja qual for a história que ela tiver para contar. Só com amor e mansidão você vai conseguir chegar ao coração dela.

Ouvir

Se uma mulher pensa em aborto é porque ela está angustiada e não sabe como superar os problemas que a atormentam. Acolha essa mulher; se ela sentir amor e carinho, ela vai se abrir com você.

Procure saber como ela está; para isso é preciso ouvi-la. Ela precisa desabafar, colocar para fora o que está acontecendo; e você, para poder ajudar, precisa ouvir as razões que levam essa mulher a pensar num aborto.

Deixe ela esvaziar tudo o que a está agonizando, todas as preocupações, todas as tristezas, todo o fardo que ela carrega…. deixe ela te contar o que está acontecendo e o porquê ela quer abortar. Quais são as razões que a levam querer abortar? Por que ela pensa que o aborto vai solucionar os problemas?

Tente se colocar no lugar dela e entender o que ela está passando. Pense na última vez que você esteve numa situação em que algo devastou a sua vida e te machucou. Não importa o quanto você tentasse, sozinho você não conseguia pensar direito em como sair do problema. O mesmo passa com ela agora. Muito provavelmente ela está passando por uma miríade de emoções: medo, raiva, decepção, ansiedade, baixa auto-estima, confusão. Essas emoções impedem que ela pense com clareza. É aí que você entra.

Apoio Emocional

O suporte afetivo é o fator mais importante de toda interação entre vocês! Ela precisa saber que não está sozinha, por isso diga que ela pode contar com você e que existem muitas outras pessoas que se preocupam com ela e com o bebê e que estão dispostas a ajudar.

Lembre que ela é forte e que tudo vai ficar bem!  Que ter um bebê não é o fim do mundo, pelo contrário, é uma notícia a ser celebrada! Que ela é uma vencedora e que vai conseguir superar as dificuldades, e que você vai ajudá-la a sair vitoriosa sobre os problemas! Diga que as tribulações passam, as crises se superam… mas o aborto marca a vida de uma mulher para sempre; que esse filho que ela espera já existe e é único, que não vem para fazer mal à ela mas vem para um bem maior!

Segure as mãos dela, dê um abraço, parabenize-a pela vida do bebê! Não importa em que situação esse filho foi gerado, é nossa obrigação dar as boas-vindas a essa vida e ajudar essa mãe em todo o necessário.

Nesse momento, uma amizade verdadeira faz toda a diferença. Seja essa amiga que anima, consola, faz companhia e ajuda a trilhar o caminho certo.

 A Verdade Sobre o Aborto

Muito diferente da propaganda difundida pelo movimento abortista, o aborto implica em uma série de riscos para a saúde física da mulher e tem graves consequências psicológicas.

Por isso, depois de ouvir o desabafo e mostrar que você está do lado dela, conte a verdade sobre o aborto.

Como essas informações não são transmitidas pela mídia abortista, é muito provável que ela nunca tenha ouvido como é o procedimento cirúrgico, os riscos para a saúde física, as consequências psicológicas e emocionais, a síndrome pós-aborto, o sofrimento do feto durante o aborto e qual é o estágio de desenvolvimento desse bebê que ela quer matar.

 Como é Feito um Aborto

A experiência do aborto é uma experiência traumática em si. Os métodos de abortamento são cruéis não só com o bebê mas também com a mãe. O aborto pode ser cirúrgico (se provoca artificialmente a dilatação da vagina para se inserir através dela instrumentos pontiagudos para perfurar, succionar e cortar o bebê no útero para matá-lo) ou químico (feito através do uso de drogas que levam a morte do bebê. Entretanto, o uso dessas drogas não afeta somente o organismo do bebê para matá-lo, mas afeta também o da mãe: por isso a alteração da pressão sanguínea, vômitos, febre, hemorragia, cãibra, tontura, desmaio, etc…).¹

 Sequelas Físicas do Aborto

Aborto pode deixar sequelas físicas permanentes no corpo da mulher. Mesmo em países onde o aborto está legalizado e é feito em hospitais, há mulheres que se tornam estéreis e há mulheres que morrem por fazer um aborto. Isso mesmo: morrem, ainda que o aborto seja feito dentro do hospital e com lâminas esterilizadas. Isso porque o aborto, como toda cirurgia ou uso de medicamentos, envolve riscos de infecção e danos irreversíveis ao organismo. Além disso, inúmeras pesquisas apontam a relação do aborto como fator de predisposição para o câncer de mama, câncer de útero, dor crônica abdominal e má formação fetal nas gestações seguintes.²˒ ³˒ ⁴˒ ⁵ ˒ ⁶ ˒ ⁷˒ ⁸˒ ⁹˒ ¹⁰

 Consequências Psicológicas do Aborto

O aborto tem consequências psicológicas que marcam a mulher para o resto da vida. Estima-se que entre 90% e 100% das mulheres que abortam experienciam depressão, drogadição, alcoolismo, isolamento social, pesadelos, agressividade, autolesão, esgotamento e nervosismo, psicose e suicídio; fatores que caracterizam a Síndrome Pós-Aborto.¹¹˒¹²

É comum no relato de mulheres que abortaram o sentimento de culpa, de se sentir enganada pelos que contribuíram no aborto, raiva contra si mesma e de querer voltar no tempo para deixar a criança nascer.

 Como é o Aborto para o Bebê

O aborto mata o bebê de forma extremamente dolorosa.¹³  No documentário “O Grito Silencioso”¹⁴  é possível ver no ultrassom de um bebê sendo abortado como ele foge dos instrumentos usados pelo abortista para cortá-lo vivo. Isso porque as conexões nervosas são formadas nos estágios iniciais do desenvolvimento orgânico; o médico cirurgião Robert P. N. Shearin descreve que:

“Entre oito a dez semanas após a concepção, e definitivamente por treze semanas e meia, o nascituro é capaz de sentir dor.”¹⁵

Por causa da capacidade do feto sentir dor, em casos de cirurgia fetal (no feto, antes de nascer), é prática médica administrar anestesia ao nascituro.

No depoimento de Renee Scrivano, ela descreve como percebeu que o seu bebê não queria ser abortado:

“O abortista entrou na sala e começou o meu aborto… Depois de um tempo ela [a enfermeira] perguntou ao médico ‘Algo errado?’ Ele disse ‘O feto está tentando fugir! Eu tentei três vezes!’

Fiquei em choque!! O que ele disse me atingiu como uma tonelada… pensei: ‘O feto está tentando fugir!’ Comecei a rezar e pedir a Deus para que parasse tudo… Eu não podia acreditar no que eu estava fazendo!! Segundos depois, o aborteiro disse, ‘Acabou’. Ele guardou os instrumentos e saiu da sala.”¹⁶

 Quem é o Bebê

Procure saber o estágio de desenvolvimento da criança que ela espera. Saber quantos meses de gestação, o tamanho e o sexo do bebê ajuda a mãe a reconhecer que é um filho que ela espera. Se possível, tente conseguir para ela um ultrassom. Pesquisas apontam que 78% das mulheres que estão decididas a abortar desistem quando veem o bebê na ecografia.¹⁷

Ajuda Prática

Em amor, é preciso que você exponha a verdade sobre o aborto para que ela saiba que isso é uma péssima escolha – não apenas contra o próprio bebê mas contra ela mesma. Entretanto, essa mulher precisa de ajuda, por isso apresente à ela alternativas reais. Ajude ela a encontrar uma maneira adequada para acabar com o problema que ela enfrenta (e não com o bebê) e assegure que você está do lado dela no que for preciso.

Sua amiga pode estar precisando de ajuda médica, jurídica, material, psicológica… De imediato, você pode não saber onde encontrar esses serviços, mas se prontifique a procurar e entrar em contato com ela em breve. Existem muitos lugares que disponibilizam esses atendimentos gratuitamente, Igrejas e pessoas que estão dispostas a ajudar se forem acionadas.

Considere que ela está fragilizada e por isso é importante que você tenha o cuidado pastoral de procurar por isso. Entre em contato com pessoas que possam atender ou saibam informar aonde ir;  porém, não entregue apenas um número de telefone à ela depois, mas se ofereça a ir junto de ônibus ou a dar uma carona.

Antes de se despedir, reforce a mensagem de que ela não está sozinha e assegure o seu apoio. Dê um abraço, diga que você sabe que ela está com medo, que você entende o que ela está passando e que você vai a ajudar a passar por tudo isso e de cabeça erguida! Se você e ela acreditam em Deus, proponha uma oração antes de ir.

Outras Considerações

As situações que podem levar uma mulher a querer abortar são múltiplas: pode ser por carência material, pode ser por causa de um relacionamento abusivo, pode ser porque ela quer se dedicar a carreira… Porém a verdade é que ser mãe não destrói a vida de nenhuma mulher, não a impede de seguir adiante e nem a torna mais fraca; pelo contrário, a maternidade torna toda mulher uma pessoa melhor.

Entretanto, se essa mulher acredita que não pode ficar como o bebê, o melhor é entregá-lo para a adoção. Existe o mito no Brasil de que a mulher que dá o filho para adoção é desnaturada, mas isso não é verdade. A adoção é uma benção na vida de todos os envolvidos. Há muitos casais esperando na fila de adoção por um filho. Por mais difícil que seja dar um filho para adoção, essa é uma escolha que não aumenta o risco de câncer, transtornos psiquiátricos ou alcoolismo na mãe, e assegura o direito da criança à vida, de ser amado e de crescer num lar.

 

Notas:

¹ Abortion Methods

² Fallece una joven tras someterse a un aborto en la clínica Los Lagos de Bezana

³ Tragic Anniversary of Three Women’s Deaths from Abortion

Clinic That Killed Woman in Botched Abortion Left Her on the Table With Her Legs in the Stirrups

Abortionist responsible for 38-yr-old woman’s death receives light sentence

New Research Links Abortion and Pregnancy Complications

⁷ F. Parazzini, et al., ‘Reproductive Factors and the Risk of Invasive and Intraepithelial Cervical Neoplasia’, British Journal of Cancer, 1989, 59:805-09

⁸ H.L. Steward, et al., ‘Epidemiology of Cancers of the Uterine Cervix and Corpus, Breast and Ovary in Israel and New York City’, Journal of the National Cancer Institute 37 (i):1-96

⁹ I. Fujimoto et al., ‘Epidemiologic Study of Carcinoma in Situ of the Cervix’, Journal of Reproductive Medicine, July 1985, 30 (7), p. 535

¹⁰ C. LaVecchia, et a., ‘Reproductive Factors and the Risk of Hepatocellular Carcinoma in Women’, International Journal of Cancer, 1992, 52:351

¹¹ J.L. Herman, Trauma and Recovery (New York: Basic Books, 1992), p.34, ‘Abortion’s Adverse Physical and Psychological Effects on Women’

¹² Abortion History Linked to Bipolar Disorders — And the Ongoing Coverup

¹³ A Conversation with a Former Abortionist

¹⁴ O Grito Silencioso

¹⁵ Abortion Painfully Kills Babies

¹⁶ I Regret My Abortion – Silence No More

¹⁷ 78% of Pregnant Women Seeing an Ultrasound Reject Abortions

Anúncios

Um comentário sobre “Como ajudar uma gestante que pensa em abortar?

  1. Aborto intencional é um choque abrupto nos hormònios e pode causar câncer na mulher, pois a natureza somente reage a tamanha violência, que é o aborto provocado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s