Edir Macedo e seu abortismo universal

Já tive a oportunidade de escrever sobre Edir Macedo. É um bocado chato ter que lidar com tais tipos, pois a única obra deste senhor é enganar os fracos com um simulacro de religião que não é levado a sério nem mesmo por seus pares protestantes.

Já li coisas de feministas radicais que fariam corar qualquer pessoa que tivesse um mínimo de retidão moral. Já li pseudo-argumentos de abortistas que fazem pensar até onde vai a desonestidade de tais pessoas para defender um ato cruel e assassino. O que escreve Edir Macedo sobre aborto consegue ir mais longe, é de envergonhar não apenas qualquer protestante, mas qualquer pessoa de bom senso.

Ao utilizar a Bíblia para justificar um ato tão hediondo como o aborto, Edir Macedo vai por um caminho que me dá nojo, asco, repulsa. E estes sentimentos ruins só aumentam à medida que ele vai moldando a mente de seus “fiéis”, que após a deixa do chefão descem ainda mais. Já tive a oportunidade de responder a um destes paus-mandados por aqui.

A arrogância deste pessoal só é páreo para sua ignorância sobre qualquer tipo de assunto. É uma gente que acha que aprende a Bíblia pelo simples contato, uma gente que vê aquelas imagens de Edir Macedo ensinando a “solicitar” dinheiro dos incautos e acha que tudo vai bem.

Como Edir Macedo é escravo de seu ódio pela Santa Igreja, a única fundada por Nosso Senhor Jesus Cristo, ele se viu obrigado a ser favorável ao aborto. Onde está a Igreja Católica, Edir Macedo faz questão de estar no lado oposto, e é por isto que ele e seus mandados hoje tomaram a causa do aborto para si. É isto aí, o ódio de Edir Macedo pela Santa Igreja é tanto que ele não hesitou em se postar ao lado dos abortistas.

O caso atual — agradecimentos ao meu amigo Wagner Moura pela dica! — é que o pessoal da seita de Edir Macedo voltou à carga sobre o assunto aborto. Em um blog que faz o milagre de repostar entradas do blog do chefe, foi novamente abordado o caso da menina de Alagoinha, que trouxe à tona a formidável união entre ONGs abortistas, profissionais de saúde e a grande mídia, todos mancomunados para eliminar friamente o mal supremo que era a gestação de gêmeos.

Ver feministas e a seita de Edir Macedo unidos em uma mesma causa diz muito sobre ambos, não é mesmo?

Passando à postagem do chefe do grupo Universal, logo no início ele escreve assim:

“(…) chamou a atenção sobre o caso da criança que foi abusada de 9 anos de idade e que sofreu o aborto”

Mentira. A menina “sofreu” aborto coisa nenhuma. O procedimento foi feito sob uma cortina de enganação e medo na qual foram envolvidos seus responsáveis legais. O aborto, neste caso, foi procurado direta e friamente por grupos que andam sempre à procura de exemplos que possam sensibilizar a opinião pública para a liberação do aborto. O sofrimento da menina e de sua família foi instrumentalizado tanto por ONGs abortistas quanto pela mídia, que jamais perde uma oportunidade de alavancar a causa abortista.

Mas é claro que Edir Macedo não pararia por aí… Logo em seguida ele escreve:

“O aborto está entre as três principais causas de mortalidade materna no país. Só em 2006, teriam sido feitos mais de um milhão de abortos e quase 219.000 mulheres acabaram internadas nas redes de saúde pública por complicações após a interrupção.(…)”

Mais mentiras… E nesta série de mentiras encadeadas, Edir Macedo, seguindo um método que já se tornou tradição entre os abortistas tupiniquins, joga números sem quaisquer fundamentos. Um milhão de abortos? Qual a fonte de tal número? Ninguém sabe…

Justiça seja feita, Edir Macedo não está só nesta mentirada de “um milhão de abortos” no Brasil. Até mesmo a revista nacional de maior circulação parte para a mentira pura e simples quando o caso é aborto.

Mas Edir Macedo ajuda a perpetuar a mentira de que o aborto é uma das principais causas de morte materna no Brasil. Todos sabemos que mentira tem pernas curtas, mas neste caso são mais curtas que o costumeiro, pois quem desmente o chefão do grupo Universal é o próprio DATASUS, a mesma fonte de dados que já desmentiu até mesmo o Ministro Temporão, que também já andou tentando fazer graça exagerando os números do aborto no Brasil.

Na postagem em que foi demonstrada a mentira do Ministro Temporão, foi também trazida uma mentira da Ministra Nilcéia Freire. Eis o trecho relevante:

“Note-se que os membros do governo Lula conhecem muito bem os números do DATASUS. A Ministra Nilcéia Freire e sua equipe em resposta ao CEDAW (Convention on the Elimination of All Forms of Discrimination against Women – Convenção para a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Mulheres, um braço da ONU que acha que negar o “direito” de matar fetos é uma forma de discriminação contra as mulheres) declarou: “Entre 2002 e 2004 houve 115, 152 e 156 mortes provocadas por abortos, o que faz o aborto a quarta causa de mortalidade materna no Brasil”. A declaração da ministra bate com os dados do DATASUS, mas, curiosamente, ela esqueceu de desagregá-los. Tivesse feito isto, ela poderia declarar que as mortes por aborto provocado nos anos referidos foram 7, 6 e 11. O que a ministra fez foi juntar todos os números de mortes por aborto no período, sejam eles abortos espontâneos, abortos por gravidez ectópica ou outros.”

Ou seja, para exagerar ao extremo os números do aborto, figuras de relevo do governo Lula não hesitam em divulgar números que diferem das próprias fontes de dados oficiais. E Edir Macedo, ao dizer que o aborto “está entre as três principais causas de mortalidade materna no país” contribui para a consolidação da mentira, pois ele também cometeu o mesmo “erro” dos ministros de Lula, que juntam todos os tipos de aborto e vendem a idéia de que todos são abortos provocados.

E, como no caso das feministas, ver a seita de Edir Macedo utilizando os mesmos métodos petistas diz um bocado sobre ambos.

E já que Edir Macedo gosta tanto de falar de Bíblia, talvez ele devesse ensinar a seus fiéis a quem corresponde nas Sagradas Escrituras a figura do “Pai da Mentira”.

Mas a deixa para a verborragia ignorante de Edir Macedo foi o comentário de um de seus seguidores. Este, seguindo os passos de seu ídolo, escreveu esta pérola que mereceu destaque do chefão:

“O Terceiro Mundo foi, é e será sempre subdesenvolvido enquanto o clero romano impor suas doutrinas supostamente em nome de Deus. Na verdade, eles querem mais miseráveis no mundo pra sustentar suas ongs supostamente sociais. Na Africa, na América Central e do Sul, Filipinas e outros tantos países de miséria a Igreja Católica se faz e sustenta a ostentação papal. Nesses lugares os padres pedófilos não aparecem porque a mídia tem estado nas mãos deles. Mas nos USA o prejuízo que eles têm causado aos paroquianos incautos são recompensados com a justiça mais justa e independente americana. Por isso eles têm tido enormes prejuízos econômicos (bilhões de dólares) com seus bispos e padres pedófilos…

E depois têm a cara de pau de excomungar os defensores e benfeitores dessa menina estuprada.Tomara que o fizessem com todos os seus incautos para que eles deixassem mesmo essa Babilônia!”

Difícil imaginar dois parágrafos com tantos clichês anti-católicos amontoados quanto estes… Este papo de ligar falta de desenvolvimento ao catolicismo é praticamente um fetiche protestante, o mesmo fetiche que leva a muitos deles achar que a prosperidade material é indício de eleição divina. Que falta fazem os sacramentos para esta gente… Que Deus os ajude e ilumine seus corações!

A próspera Grã-Bretanha, a mesma na qual a Deforma Protestante rendeu inúmeros mártires aos nossos altares, hoje em dia deixa bebês morrerem à míngua enquanto ensina às suas crianças o respeito aos insetos. A Holanda, o sagrado cofre do protestantismo, hoje em dia virou campo de provas do demônio, com o aborto, drogas e eutanásia liberados, entre outras bizarrices.

Mas o aluno de Edir Macedo se supera ao chamar os médicos que foram excomungados de “defensores e benfeitores”. De quem? À menina o que conseguiram fazer foi juntar um ato hediondo à uma violência extrema. Às crianças abortadas, fica difícil falar em benfeitores quando o que os médicos fizeram foi tirar-lhes a vida friamente.

Só mesmo na mente de um ignorante que o aborto é algo parecido com uma defesa. Quem são os agressores? Quais os crimes cometidos pelas crianças que foram parar em sacos plásticos para servirem de evidência contra o agressor de sua mãe?

Depois de trazer o comentário de seu seguidor, o chefe volta à carga:

“Eu sou a favor do aborto. Não é que eu ache que toda grávida deveria abortar, mas acho que nem toda grávida tem condições de ter um filho.”

Edir Macedo, do alto de sua megalomania, talvez não consiga compreender que ele achar ou não que uma mulher deva ter condições de ter um filho importa nada para a dignidade intrínseca ao ser humano que foi gerado. Não é — felizmente! — o aval de Edir Macedo que determina quem deve ou não viver.

Eu, por exemplo, não acho que Edir Macedo tenha condições de ter um galpão onde ele se reúna com seus seguidores para esbravejar a plenos pulmões e, no entanto, ele faz isto pelo mundo inteiro.

O restante da postagem de Edir Macedo traz apenas algumas indagações que é uma mistura de infantilidade com irresponsabilidade. Ele chega ao ponto de perguntar:

“(…) Qual a chance de uma criança abortada perder a salvação de sua alma? Qual a chance de uma criança chegar à idade adulta perder a salvação de sua alma?”

Tomando como base o pensamento edirmacediano, o aborto seria praticamente um favor que alguém faz a uma criança, pois se não fosse o bondoso abortista a criança correria o seríssimo risco de viver e perder sua alma. No pensamento torto de Edir Macedo o aborto é como um instrumento para assegurar a salvação de crianças.
E é neste ponto que mais dá nojo o que escreve Edir Macedo. Ver alguém que utiliza uma Teologia barata e pífia para pintar em cores alegres um ato tão horrível como o aborto é coisa que faz embrulhar o estômago. E isto quando até mesmo os abortistas que executam as crianças com as próprias mãos dizem o óbvio: que aborto é assassinato.

Edir Macedo, ao chamar o mal de bem e ao arrastar ao mesmo erro seus seguidores, ao exercitar seu ódio à Santa Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo utilizando até mesmo dados fantasiosos mostra bem o caminho perigoso que tantos já percorreram: podem até começar com boas intenções, mas terminam com o ofício de vender como coisa boa até mesmo a morte de bebês no ventre de suas mães.

Que Deus os ajude.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s